Eliza Samudio, Caso, Fotos

Julgamento do caso Eliza Samudio ainda sem data definida

O processo do caso do assassinato da modelo Eliza Samudio que vai levar a júri popular tem 44 volumes e 8.500 folhas guardadas na 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Foi durante uma festa em 2009, que Eliza Samudio conheceu o então goleiro do Flamengo Bruno Fernandes Souza, que na época era casado e com filhos.

O suposto caso durou três meses, mas o relacionamento chegou ao fim quando Eliza ficou grávida e insistiu em  ter o filho, mesmo o goleiro querendo que ela fizasse um aborto.

Eliza Samudio continuou com sua vida e sua gravidez, nos primeiros meses de 2010 ela deu a luz ao filho Bruninho. Ela lutava ns jistiça para conseguir com que o goleiro fizesse um teste de paternidade, ao invés disso ela só conseguiu com que ele a ameaçasse ainda mais.

Elisa Samudio desapareceu no dia 4 de junho, e devido as ameaças, o goleiro Bruno foi considerado o principal suspeito. As buscas pelo corpo de Eliza só começaram um mês depois do seu desaparecimento, com base no depoimento de testemunhas que teriam visto a modelo indo para a fazenda do goleiro em Belo Horizonte.

Consta também dos documentos policiais que Elisa Samudio teria sido retirada do hotel, onde estava no Rio de Janeiro, pelo jogador e outros dois homens identificados como Luiz Enrique Ferreira (macarrão) e  Aparecio Marcos dos Santos um ex-policial conhecido como “Bola”.

Quando a polícia chegou a fazenda do jogador encontrou alguns pertences de Eliza Samudio e um bilhete de avião com seu nome, além de vestígios de sangue no carro do jogador. O filho de quatro meses da modelo foi encontrado na fazenda, foram presos uma mulher e outros sete suspeitos.

O goleiro Flamingo se entregou às autoridades, mas alegou inocência. As coisas mudaram quando o primo de Bruno, Sérgio Rosa Sales, de 17 anos contou a policia os eventos que ocorreram com Eliza Samudio Silva, que foi foi brutalmente assassinada. O adolescente disse à polícia que ela foi levada com as mãos amarradas por amigos do jogador, que bateram, estrangularam e a cortaram em pedaços, e que inclusive alguns pedaços ahaviam sido dado aos cachorros e os restos enterrados em concreto, ele não disse onde, e ainda confirmou que o jogador presenciou o massacre inteiro.

Infelizmente a principal testemunha do assassinato, Sérgio Rosa Sales, foi executado com seis tiros, na região norte de belo Horizonte, no último dia 22 de agosto. Sérgio iria a julgamento com outros sete réus pelo desaparecimento e morte de Eliza Samúdio.

O caso Eliza Samudio está em sua última fase, o ex-goleiro Bruno e o amigo Luiz Henrique Romão vão a júri popular por seqüestro e cárcere privado, homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Já o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos e vai responder por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Dayanne Rodrigues, ex-mulher do goleiro; Wemerson Marques, amigo do jogador, e Elenílson Vítor Silva, caseiro do sítio em Esmeraldas, respondem pelo seqüestro e cárcere privado do filho de Bruno. Já Fernanda Gomes de Castro, outra ex-namorada do jogador, responde por seqüestro e cárcere privado de Eliza e do filho dela.

Image # 1

Image # 2

Image # 3

Image # 4

Image # 5

Image # 6

Image # 7

Image # 8

Image # 9

Image # 10

 






Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *